19 julho 2010

Agradando gregos e troianos

O país convida os turistas a conhecerem a sua variedade de climas.
Por: Leandro Gaignoux



Seu eu fosse você colocava o video pra carregar enquanto fosse lendo.

Escolher um local para viajar pode não parecer uma tarefa tão fácil quanto muitos acham que é. Uns preferem calor e praia, já outros curtem o frio das montanhas, Afinal, qual programa optar? Aqui na África do Sul esta árdua escolha parece ser facilitada pela diversidade geográfica presente em terras sul-africanas.

Esquiar em pleno continente africano já passou pela sua cabeça? Com certeza você nunca imaginou que veria neve por aqui, talvez pela falta de informações, principalmente antes da realização do mundial 2010.

Esta maravilha fica a nove horas de carro para quem sai de Johanesburgo e chama-se Tiffindel, região onde se encontram resorts específicos para os turistas que queiram participar de algumas aventuras na neve sul-africana. Lá esta inusitada experiência é possível. Certamente você deve achar que é uma fortuna fazer uma aventura desta, não é? Até que não, para um adulto passar quatro dias no complexo o valor está em torno de R$1.650,00; com as principais refeições, acomodações, instalações médicas, equipamentos e curso para a prática do ski.

Já para quem não é fã de ambientes frios e gelados a África do Sul também reserva lugares fascinantes e encantadores com muitas opções de diversão para o visitante. Conhecer Cape Town (Cidade do Cabo) é programa obrigatório para o turista, o lugar é considerado o início do continente, pois foi ali que os colonizadores holandeses criaram a cidade com o objetivo de ser um posto comercial para os navios que seguiam rumo ao oriente.



Ao estar ali você se sente em uma pequena cidade européia já que muitos descendentes de holandeses, ingleses, franceses e alemães ali se encontram e acabam deixando uma contribuição com sua cultura. Ao visitar o local o turista não pode deixar de conhecer os principais pontos como: Cabo da Boa Esperança, Table Montain, visitar a praia dos pingüins, mergulhar com os temidos tubarões brancos, passear no waterfront (local a beira do mar onde se encontram muitos barzinhos). A dica é ir em dezembro, época de verão, porque durante o meio do ano ventos e a neblina atrapalham o uso das praias, mas por outro lado cria uma bela vista juntamente com um clima aconchegante.



E não é só por lá que dá para pegar uma prainha, outras boas opções também existem: como Durban, lá eu estive para acompanhar Brasil e Portugal na primeira fase da Copa do Mundo. Me senti em casa e tive o prazer de tomar caldo de cana em plena África do sul, com clima bem parecido ao do Rio de Janeiro e diferente ao que estamos acostumados em Pretória e Johanesburgo. Também não podemos deixar de lembrar de Jeffreys bay, considerado um dos principais pontos do surf mundial e que está a 1.100Km de Joburg, dando uma média de 10 horas para quem faz o percurso de carro. Mas se optar ir de avião a South African Airways disponibiliza vôos diários para Port Elizabeth, levando duas horas. Chegando lá existe um ônibus que deixa o turista em seu destino final, isso sai por volta de 40 reais. Outras opções de transportes são o trem e o ônibus, estes também fazem o mesmo trajeto.

Alternativas são o que mais tem por aqui, tudo com uma boa infra-estrutura, contrariando algumas opiniões vindas da impressa mundial. Nas próximas férias venha curtir essas maravilhas e quem sabe nós nos encontramos por aí.

Por: Leandro Gaignoux

Um comentário:

  1. Fazer uma viagem para a Africa esta na minha lista de coisas a fazer antes dos 50. #ficadica

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...