16 março 2019

SOL na Laje


Verão no Rio de Janeiro! Essa frase remete à felicidade, sol, praia, água de coco, cerveja, caipirinha e um clássico do subúrbio carioca: o Barra Laje. Se você não sabe o que é, esse ensaio vai mostrar o que você está perdendo.

O Rio é o destino de muitos não só no verão. O ano inteiro a cidade maravilhosa recebe pessoas em busca desse calor. Mas não só de praia nós vivemos por aqui e, pensando nisso, fizemos um ensaio incrível mostrando como a gente se diverte.

Aproveitando o momento, também mostramos um tipo de penteado que super bombou e é um dos mais pedidos nesse verão aqui no Trança *Nagô*.

A trança nagô no formato Rabo de Cavalo é o carro chefe do nosso studio, não tem um dia que não fazemos esse modelo. Ela permite que sejam feitos outros penteados a partir dele, como um coque maravilhoso, por exemplo.

Está curioso pra ver como é a trança e esse ensaio lindão? Então olha só:



  






















Ficha Técnica 
Locação: Olinda Nilópolis
Modelos: Cinthia Lima e Juliana Jesus 
Cabelo: @trancanago
Moda Praia: @afrobeachbrasil
Acessórios: @mundo_quixotesca





12 março 2019

Tranças africanas são caras?





“Eu acho seu trabalho ótimo, mas ele é muito caro pra mim, pode me dar um descontão?” Essa frase é uma das mais ouvidas pelos trancistas.

Antes de fazer essa pergunta é importante lembrar que é um trabalho artesanal realizado por algumas horas seguidas para que seja o mais rápido possível para você e tenha um resultado impecável. Leve em conta a responsabilidade de estar com seus cabelos nas mãos, pois trançar com o aperto ou a técnica errada, pode causar consequências ruins, como queda e quebra de cabelo, dor de cabeça, machucados pelo couro cabeludo, caspa e coceira.

Por isso, nos esforçamos nos estudos profissionalizantes, através de aulas presenciais ou online, consultorias com profissionais mais antigos e muita prática. Ao final do dia, com as mãos dormentes de tanto trançar, dificilmente seria possível aceitar propostas como essas.

A quantidade de trancistas cresceu com a facilidade de aprendizado das técnicas via internet, com isso, os primeiros clientes desses profissionais acabam sendo seus amigos e familiares próximos. Essas são as pessoas que mais pechincham e acabam mesmo que sem intenção desvalorizando nosso trabalho.

Se você tem um amigo trancista ou apenas busca pelo serviço, lembre-se que a satisfação precisa ser das duas partes, trocamos nossa mão de obra e serviço de qualidade para você se sentir mais bonito e consequentemente mais feliz.

Trancistas, não deixem de colocar dentro dos seus preços toda sua dedicação e estudo, pois isso é justo. Conquiste seus clientes, mas não deixe de valorizar seu trabalho!

04 março 2019

Como cultivar dreads sem agulha, cera ou extensões?



Parece difícil de acreditar, mas essa ideia existe e é mais comum do que você imagina. O segredo para cultivar dreads naturais está nos nossos próprios cabelos crespos e cacheados, que adoram se embaraçar e formar nós. Por isso, dizemos que “Não se fazem dreads naturais, você apenas os deixa acontecer.”

25 fevereiro 2019

As raízes das suas tranças merecem atenção!



Quando as raízes dos nossos cabelos começam a ficar altas devido ao crescimento dos fios, chegou a hora de tirar as tranças. Isso acontece perto dos dois meses, aproximadamente.

Após a retirada, podemos encontrar fios partidos e outros quebradiços. Mas esse risco, só corremos quando não cuidamos dos cabelos que estão presos dentro das tranças. Coceiras indevidas e coques super apertados, são os dois hábitos que mais proporcionam esses problemas, gerando as dores de cabeça, machucados pelo couro cabeludo e caspa.

O truque pra manter nossas raízes bem conservadas é bem mais simples do que se imagina: Durante o período mais apertado das suas tranças, evite esfregar com força na hora de lavar ou coçá-las. Além disso, cuide bem do seu couro cabeludo, que estará muito mais sensível. Vale usar bons óleos vegetais e água com

shampoo diluído pra deixar suas raízes sempre hidratadas e limpinhas.

Pode não parecer muito, mas isso fará uma diferença enorme na conservação das suas tranças e na proteção dos cabelos naturais dentro delas.

18 fevereiro 2019

Quatro truques pra manter suas tranças bem conservadas por mais tempo


Após algumas horinhas conversando sobre os mais diversos assuntos com sua trancista preferida, suas tranças ficam prontas. Mas assim que colocamos os pés pra fora do Trança Nagô, uma dúvida não sai da sua cabeça: Como manter nossas tranças bem cuidadas e bonitas pelo máximo de tempo que pudermos.

11 fevereiro 2019

Tranças africanas como você nunca viu!


Quando pensamos que já vimos todos os tipos cabelos africanos incríveis, nossa terra mãe nos surpreende mais uma vez com a certeza de que os nossos povos são muito mais belos do que imaginávamos.

04 fevereiro 2019

Raspar a cabeça, pode mesmo mudar tudo



Sob o sol forte do Rio de Janeiro, um fenômeno vêm se espalhando em cabeças por toda a cidade: Os cabelos raspados.

Cabelos raspados nas laterais, na cabeça inteira ou cortes com desenhos voltam a ganhar espaço nas ruas como se os tempos de Um Maluco no Pedaço estivessem voltando aos olhos das indústrias da moda e da estética.

Mas os anos 80 nos trouxeram além das roupas híper coloridas e cortes afro que parecem obras de arte. Foi durante os anos 80 até o final dos 90, que as mulheres afro-americanas começaram a assumir novamente os seus cabelos raspados.

O termo “voltar” e o termo “assumir” são propositais, pois essa forma de usar os cabelos, ou melhor, de não usá-los, já existia desde a África, onde ainda hoje há diversas etnias onde a noção de beleza não depende do comprimento dos cabelos.

Esse estilo, que já tem décadas de idade nos EUA, e milhares de anos em povos africanos, desembarcou no Brasil muito recentemente.

Não é preciso refletir muito pra afirmar que as Dora Milaje de Pantera Negra tiveram uma atuação fundamental nisso.

Logo, aquilo que antes poderia ser uma experiência traumática no corte dos fios com química ou uma opção estética impensável, voltou a parecer belo.

Aos poucos, o número de pessoas que desistem de usar as extensões durante a transição e escolhem exibir seus cabelos curtos, aumenta.

Aumentou também o número de pessoas que de tanto amar essa praticidade e beleza, acabam escolhendo manter a cabeça raspada.


Raspar a cabeça sempre foi um ato simbólico importante para os povos que nos originaram. Para muitos desses povos, esse ato expressa um renascimento, pois voltamos a ser como os recém nascidos.

Essa “volta”, abre novas oportunidades para enxergar a si mesmo e se permitir questionar velhos vícios como o da aparência.

Violet nos mostrou muito sobre isso em Felicidade por um Fio. Raspar a cabeça pode mesmo mudar tudo!




28 janeiro 2019

Como dormir com as tranças?



Você tenta todas as posições possíveis, de bruços, com as tranças pra fora da cama, de lado, com as tranças jogadas, em rabo de cavalo, fazendo cachecol e o resultado é sempre um péssimo mau humor na manhã seguinte.

Nos primeiros dois a três dias, as raízes das suas tranças ainda estarão bastante rígidas por causa da tensão entre elas e os fios naturais. Mas entenda, o incômodo que você sente não é causado pelo aperto, mas por conta dessa firmeza, uma vez que nossos cabelos saudáveis costumam ser extremamente fortes proporcionalmente ao tamanho deles.

É o peso das tranças quem causa essa dorzinha difícil de engolir. Então te desafiamos a mudar a forma como você dorme para ter um sono de melhor qualidade e conservar melhor suas tranças.

Experimente usar travesseiros com fronha de cetim, que deixam os fios deslizar e evitam o frizz nas tranças. Para diminuir o incômodo das tranças recém feitas, evite dormir com as tranças pra fora da cama ou em posições mais baixas que o seu corpo.
Se o efeito de tensão provocado pelo peso é o que pode causar o incômodo, uma boa noite de sono pode ser garantida por um travesseiro extra. Um só pra deixar suas tranças descansando ao mesmo nível da sua cabeça.  

Uma dica extra pra você usar durante o dia: umedecer as pontas dos dedos e passar entre as tranças, é um jeito ótimo de diminuir a coceira, mas se realmente precisar coçar, tente fazer isso sem usar as unhas. Quem provoca o efeito de gancho que destrói suas raízes e provoca infecções, são elas!

24 janeiro 2019

Posso entrar no mar com tranças?



O que você pensa quando chega a estação mais quente do ano? Certamente entre as opções de refúgio está a praia, é para onde fugimos desse deserto urbano escaldante. Lá ativamos a melanina, podemos criar uma marquinha de dar inveja e mergulhar nas ondas de águas salgadas.

Nós que amamos as tranças, não precisamos ficar de fora e podemos sim entrar no mar, mas temos que estar atentos, já que a água salgada tem efeitos bem fortes sobre os nossos cabelos trançados. Entenda as necessidades do seu cabelo, já que serão aproximadamente dois meses com as tranças e nessas temperaturas elevadas a transpiração dobra.

Vamos lá, anota aí nossas 4 dicas:

 1 - Aqui no Trança Nagô, aconselhamos evitar mergulhos no final do dia, pois seu cabelo vai demorar muito mais pra secar durante a noite.

2 - Antes de ir para casa busque um chuveirão e molhe com água doce, junto com um pouco de shampoo diluído. Isso porque o sal pode ser agressivo para os fios, os deixando enfraquecidos, porosos e potencializando a quebra. Além disso, pode gerar coceira e o atrito causar microlesões na pele do couro cabeludo.

3 - Tenha sempre uma toalha por perto para secar o cabelo após a lavagem. Tenha bastante cuidado e sempre esfregue cada trança no sentido dela, pra não gerar frizz ao secar.

4 - Molhou as tranças quando não devia? Se você tiver paciência para usar o secador, não tem tanto problema. Você deve apenas tomar cuidado para não usá-lo no modo “quente”, pois ele pode queimar as tranças de cabelo sintético.

Ufa, dá pra manter as tranças longe de encrenca por toda temporada. Seguindo nossas dicas você vai arrasar com suas madeixas sempre que for desfilar pelas praias.

23 janeiro 2019

5 Manias que só quem usa tranças vai entender


Se essas são suas tranças de primeira viagem, você não deve saber, mas vai acabar desenvolvendo várias manias que só pessoas trançadas vivenciam.

 1 - Coçar não pode, mas dá-se um jeito.

Você aguardou horas para a trancista terminar suas maravilhosas trancinhas e no final ouviu “Não pode coçar a cabeça frequentemente e nem com força” ? Sim, nós sabemos o quanto é desanimador porque provavelmente você já está com essa vontade. Não dizemos isso por mal, ok? Essa prática não retira a coceira absurda provocada ao puxar suas raízes. Parece que a vontade aumenta sempre que falamos, né? Inclusive, temos certeza que você leu esse trecho e está se segurando pra não coçar seu cabelo agora.

2 - Às vezes os coques simplesmente não nos querem.

Qual a primeira coisa que fazemos assim que nossas raízes crescem um pouco e já dá pra relaxar? Tutorial de coques, com certeza. Mas o que você não contava, é que mesmo com a técnica certa, às vezes as tranças simplesmente não querem ficar onde as deixamos. Fazer coques que fiquem realmente firmes é um desafio nas nossas primeiras tranças, e as coisas sempre terminam num belo rabo de cavalo.

3 - Descobrir usos inusitados pras suas tranças. 

Depois de um tempo trançada, você vai começar a perceber que as suas tranças podem servir para várias funções além de adornar sua lindíssima cabeça, como: servir de cachecol e travesseiro na janela do busão.

4 - Mal colocou suas tranças e já está vasculhando a galeria em busca do próximo cabelo.

 Quem trança uma vez, vai trançar duas ou muito mais vezes. Elas são um vício. Seja pela praticidade que ganham nossos cabelos ou pela beleza de estar sempre com um cabelo diferente. Nossa dica é: Consiga um cartão de memória maior, porque já já, sua galeria vai ficar lotada de cabelos printados do Instagram.

 5 - Fica ansiosa para ver seu cabelo natural, mas assim que tirar as tranças, já quer trocar de cabelo na semana seguinte.

 Chamamos isso de “sobriedade capilar”. Ficar sem as tranças nas primeiras semanas pode parecer bem mais difícil do que parece, quanto mais tranças você fizer, mais vai se acostumar a estar trançada. *Alertamos para quem está na transição, que não abuse das extensões, pois o importante é que seus fios naturais tenham tempo pra respirar e possam evitar a alopécia, que são as quedas permanentes de cabelo.