11 setembro 2013

A quimica dos cabelos

Em função do movimento pelo cabelo natural vamos aqui entender um pouco porque muitas mulheres e até mesmo homens estão largando os tratamentos químicos, ou seja, dessa escravidão de ir aos salões para ter cabelos domados, alisados, com volume controlado... Quem nunca escutou essas características que se referem a um cabelo lindo e perfeito? Vem com a gente...

Vamos entender quimicamente o cabelo?
O cabelo é dividido em três partes: cutícula que também são chamadas de escamas sendo a parte externa; córtex é o corpo real da fibra capilar, representando 90% de seu peso total, ele é formado por células preenchidas por queratina e é esta organização que dá à fibra suas propriedades marcantes sendo a parte intermediária e medula sendo a parte interna da fibra capilar.

E do que é constituído o cabelo?

Cabelo é constituído de queratina, que se encontra no córtex. Pera, até aí nenhuma novidade, rs.
A queratina é uma proteína… (Todo mundo já ouviu falar em queratina líquida para o cabelo, neh? Tá aê o motivo; Reposição Capilar).
Na constituição do fio de cabelo encontramos 65% a 95% de proteínas, outras proteínas presentes no cabelo são o colágeno, responsável pela forma, elasticidade e resistência e a elastina que é uma proteína fibrilar, constituída de fibras elásticas enoveladas que, junto com o colágeno, são essenciais para manter os cabelos saudáveis.
Proteínas são compostos orgânicos que são estudos pela bioquímica, a parte da química que estuda as reações dentro do organismo. Tá e daí?!
A queratina tem como um dos aminoácidos de sua sequência a cisteína, e é nessa tal de cisteína que estamos interessadas, porque é graças a esse aminoácido e sua organização que temos cabelos de formatos tão diferentes. Porque basicamente a constituição do cabelo é a MESMA para todas as pessoas. Nesse momento que surge o espanto, rsrs. o.O

A cisteína é constituída por um grupo chamado tiol (ui nome feio), que são enxofres que estão ligados (S-S). Pensem assim uma proteína é uma MACROmolécula, logo esses grupamentos cisteína irão ligar-se de formas diferentes, quanto mais ligações dissulfetos (S-S) o cabelo possuir mais ele irá encrespar, ok! Até ae tudo bem? Rsrs.
Saber que o cabelo possui essas ligações de dissulfetos é importante para entender os processos de relaxamentos, pois todos os hidróxidos (bases – corrosivas - redutoras) irão “atacar” essas ligações e desfazê-las, fazendo com que o cabelo se abra. De modo que penetra na estrutura mais interna dos fios de cabelo. Logo imediatamente após passarmos aqueles produtos o cabelo fica esticado, em algumas pessoas ele já começa quebrar, e na mesma hora fica completamente “alisado”, e é porque essas ligações foram quebradas.
Poxa, mas penetram assim porquê? O pH do cabelo é ácido, sendo em torno de 4,5 e 5,5. Logo produtos com pH abaixo (ácido) disso sela as cutículas do cabelo e pH acima (básico) abre as cutículas do cabelo. Os hidróxidos, ou melhor, as BASES abrem a cutícula. Vou deixar mais fácil para entender. Hidróxido de sódio, hidróxido de lítio, hidróxido de guanidina, tioglicolato de amônio e etc. Esses nomes, com certeza vocês já ouviram falar, rs. Isso não é só um processo químico como também é mecânico, porque a pessoa que manipula o alisante tem que fazer movimentos para modelar o fio, danificando-o mais ainda, além de fazer feridas no couro cabeludo com produtos tão danosos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...