08 março 2012

D.I.V.A.S #5 Nina Simone

Por:Juliana Barauna

Já ouviu falar em Eunice Kathleen Waymon?! Não?! E em Nina Simone?!

O nome artístico foi adotado aos 20 anos, para que pudesse cantar Blues, a "música do diabo", nos cabarés de Nova Iorque, Filadélfia e Atlantic City, escondida de seus pais, que eram pastores metodistas. "Nina" veio de pequena ("little one") e "Simone" foi uma homenagem à grande atriz do cinema francês Simone Signoret, sua preferida.

Dá o play e acompanhe a matéria!

Nina morreu enquanto dormia em 2003, mas como as verdadeiras D.I.V.A.S são imortas você vai saber um pouco mais da vida e obra de Nina Simone no presente para marcar em nossa memória que artistas com a força e talento de Nina merecem ser lembrados de forma atemporal.

Com de 17 anos, a musa do jazz recebeu um duro golpe ao não conseguir ingressar no Curtis Institute of music, um dos conservatórios de músicas mais respeitados do mundo. O gosto da derrota se tornou mais amargo para Nina Simone quando ela descobriu que não foi aceita por ser negra.

Grande pianista, cantora e compositora americana, Nina Simone também se destaca e é perseguida por ser negra e por abraçar publicamente todo tipo de combate ao racismo. Seu envolvimento é tal, que chegou a cantar no enterro do pacifista Martin Luther King. Sua canção “Mississippi Goddamn” tornou-se um hino ativista da causa negra, e fala sobre o assassinato de quatro crianças negras numa igreja de Birmingham em 1963. Casada com um policial nova-iorquino, Nina também sofreu com a violência do marido, que a espancava.

Em um breve contato com sua obra, aqueles que não conhecem percebem logo a diversidade de estilos pelos quais Nina Simone se aventura, desde o gospel, passando pelo soul, blues, folk e jazz. Foi uma das primeiras artistas negras a ingressar na renomada Juilliard School of Music, em Nova Iorque.


Nina esteve duas vezes no Brasil, gravou com Maria Bethania e seu último show ocorreu em 1997 no Metropolitan. Uma intérprete visceral, compositora inspirada e toca piano com energia e perfeição.

Em suas apresentações Nina deixava nítida a sua personalidade forte através dos figurinos dos shows e penteados que passavam do Black power natural chegando as tranças, sem esquecer dos acessórios como turbates, muitas pulseiras e argolas.

Em seu histórico tem mais de 500 músicas gravadas entre cd’s e LP’s a duras penas, já que estava quase sempre em conflito com suas gravadoras, basicamente porque não aceitava interferências em seu processo criativo.

Na vida e na arte, Nina Simone é DIVA.

4 comentários:

  1. Adorei este blog! Na boa, vcs me conquistaram pelo título, mas confesso que o post da Nina Simone me deixou louca! rs Nada melhor para comemorar o dia da Mulher!

    ResponderExcluir
  2. Amoooooooo o Trança Nagô, sou seguidora fiel no face hahahaha
    Vocês arrasam demais.
    Eu ja ouvi falar das duas, mais até então não sabia direito da historia..gostei bastante!!

    "Vamos costurar?"
    http://pretapretinhablog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Adooooro Nina Simone, amo as musicas dela e realmente é uma DIVA!

    ResponderExcluir
  4. Tem uma TAG pra você responder lá no "Elas Fazem Bonito" Passe lá, adoraria que participasse, pois escolhi os blogs que sigo e que amo ver para respondê-las.

    http://elasfazembonito.blogspot.com/2012/03/tag-11-perguntas.html

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...