02 fevereiro 2011

IV Seminário de inserção e realidade parte3 de6

O negro na literatura... E a negra?
Por: Fernada Moraes

O tema do primeiro dia de seminário foi "O Negro na Literatura" - "Duas configurações caracterizam a presença do negro no processo literário brasileiro: de um lado, a literatura sobre o negro;de outro, a literatura do negro. Na primeira, predomina o estereótipo; na segunda a busca de afirmação de identidade cultural. Como se delineiam tais posicionamentos? Haverá uma literatura negra no Brasil? Tal terminologia contribui para a afirmação do direito á diferença ou se constituiria em mais uma artimanha do preconceito? Esta é a matéria mobilizadora das reflexões da presente mesa-redonda, que reúne três poetas, dois deles também críticos literários."

1°Palestrante - Professora Dulce
2°Palestrante - Salgado Maranhão
3°Palestrante - Alberto da Costa e Silva
4°Palestrante - Domício Proença Filho


Dando início ao debate, Professora Dulce falou sobre a literatura negra contemporânea, eu ênfase na educação infantil, pois crianças negras precisam de espelho, precisam se reconhecer em algo.Dessa forma é de extrema importância escrever para crianças negras, nossas crianças precisam de espelho... E base!



Domício Proença Filho
tratou do preconceito, o sutil preconceito entre literatura negra e literatura brasileira.Ora, não somos todos uma grande miscigenação?!

Fez algumas observações sobre o negro, para o professor e pesquisador em literatura brasileira,na literatura o negro exerce vários papéis,entre eles: O negro vítima, o negro subalterno (como em "O Cortiço") e o negro pervertido (Como em "A Carne").

Uma outra observação não menos importante, do filme "O Alto da Compadecida" em que o ator Maurício Gonçalves interpretava Deus: Um diálogo preconceituoso,mas ainda sim, sincero, entre João Grilo e Deus.

- "... Achei que o Senhor fosse menos queimado!".

O último palestrante do dia, Salgado Maranhão, trouxe para o público a importância da primeira geração a discutir a poesia feita por negros. Em OFF, o poeta nos deu uma entrevista onde fala da importância do cabelo afro como identidade. Veja aqui!

Para finalizar sua palestra, o poeta declamou um de seus poemas "Negro Sou".



O primeiro dia do seminário terminou como começou: Tenso! Muito se falava e questionava sobre a presença de mulheres negras no debate. Nós, negras, estávamos em peso no auditório da ABL. Mas como a Professora Dulce disse em sua palestra, é preciso de espelho. E infelizmente, por pouco, muito pouco, não nos enxergávamos na primeira mesa do seminário, que não por acaso se chama SEMINÁRIO DE INSERÇÃO E REALIDADE.

No debate nós conhecemos a Verônica, essa menina fofa de turbante que desde o início da palestra, estava quietinha, atenta a todos e a tudo. Ela nos disse que adorou, que não faz parte de nenhum movimento, mas que estaria presente nos próximos dias.E que, SIIIIIIM, sentiu falta de mulheres negras no seminário.

Nós estávamos lá. E você? Estava aonde?

Por: Fernada Moraes

Um comentário:

  1. Muito bacana o trabalho que vcs fazem!!!! Continuem assim traçando o que nos une nessa luta contínua!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...