18 fevereiro 2011

Coisa de MULHER #7

Por: Debora Brito



E se, no meio do processo da #montação, da arrumação toda, a amiga estiver entusiasmada demais e usufruir de um bom vinho, de cervejas, de drinks diversos, de um cigarrinho, de um conhácão - não nessa mesma ordem ou todos de uma vez... Qual mulher nunca se arrumou, pelo menos uma vez na vida, sob o efeito de aditivos?!

Coisas de Mulher na área novamente (segunda parte do Coisa de Mulher #6).

Sai daquela churrascada - onde esteve o dia toooodo - e corre pra casa pra se arrumar pro segundo round. O round noturno, perigoso e sagaz!

Ou, está ouvindo um som bacana e vai embalando na bebida e se arruma e cantarolal?! E quando vê, está bem loca se vestindo e nem percebe a merda que tá fazendo?! Dança na frente do espelho, aumenta o som, toca o terror e sai toda alegrinha!?

São grandes as chances dela sair com um salto alto imenso para uma festa outdoor vespertina, onde o chão é a mais verde grama - ou brita, ou terra de chão batido.

Ela pode sair com um acessório que ficou perdido no meio da produção, um brinco diferente do outro, uma pulseira horrorosa que guarda até hoje, pra relembrar da sua época de rock... Pode cometer o erro de usar bem naquele dia, uma roupa que não "órna", que não "casa" com a outra, combinações escrotas, ínfames, mas que naquele momento de brisa te faz perceber tudo diferente... O bonito pode ficar feio depois. O "não tão transparente" ou o "não tão decotado" vai se revelar depois, amiga.... num bico do peito aparecendo ao se virar mais rápido, no seu fio dental se demonstrando bem fino e pra todos...

Outro problema de se arrumar nessas condições, é enxergar coisas inexistentes, um defeito que surgiu do nada, por conta de sua percepção aguçada. Um defeito estranho e absurdo, um braço maior que o outro, a cor dos dentes, a textura ruim do cotovelo (e querer resolver, seja maquiando, hidratando com abacate e amendoas, lixando no muro chapiscado, enfim, tentar solucionar o pepino só vai piorar a situaçã).

Deixar a bebida respingar na roupa, querer usar uma peça ousada porque tá na "vibe", pôr aquele calçado moderno que quase não usa, fazer uma maquiagem achando que vai arrasar e sai tipo #DercyGonçalves ou no estilo de alguma pintura do VanGogh. Se maquiar nessas condições é tenso.

Particularmente, amiga, passe só um batom e saia confiante da frente do espelho e, não volte atrás. Já tentei passar delineador e rimel, SEMPRE erro. E olha que minha destreza é gigante na mão direita. E minha concentração é alta (quando estou nas perfeitas condições CNPT). Fora delas, EU SEMPRE ERRO. E quando percebo que to errando, já me dá aquele ar de riso, que se transforma em ataque de riso master.

Porque me dá uma vontade de não apagar o erro e mandar uma pintura estilo kiss...inovando conceitos. E sair pronta pra balada. Já calibrada.


Por: Debora Brito
Email:deborasbrito@ig.com.br
http://www.fotolog.com.br/dbura/

2 comentários:

  1. Querer se arrumar pra sair qnd está mais 'alegrinha' é um perigo enorme passar lápis de olho ou rímel então é implorar pra sair tipo Dercy rs...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...