02 outubro 2009

Primeira vez que vi um negro – A Réplica

Por: Fabio Alves

Réplica do texto “ Eu nunca vi um negro ” de Graziela Gama

As boas idéias e as boas coisas se propagam, e nada melhor que a internet pra compartilhar. Então aqui vai a Réplica, mas que venha a Tréplica, Quádrupla... O importante é falar.

Segundo o russo Yuri Gagarin a Terra é azul. Bem eu digo a terra não é azul, é preto e branco, só que com todas as variações do arco-íris entre eles. No entanto tento regular meus olhos para ver caráter.

Para aqueles que nunca me viram e não me conhecem SOU NEGRO, Mas não tenho muito problema com isso não afinal desde que nasci que estou nessa condição e não pretendo mudar. Nunca. Eu falei NUNCA.

Sou muito tranqüilo com relação à questão da cor da pele. Afinal, este fato já me acompanha a algum tempo. O que me espanta é a atitude das pessoas, ou melhor, espantava. Agora não mais, pois já estou acostumado a entrar e livrarias ou em lojas de departamento e os seguranças ficarem na minha escolta. Gosto de pensar que eles estão ali para fazer a minha segurança, como guarda-costas, para não deixar que nada de mal me aconteça e não que ele está alí para evitar que eu roube alguma coisa.

“O olhar é um universo carregado de sentido. Mesmo o olhar indiferente suscita reações contraditórias. O olhar é, em grande parte, a morada do homem. O universo do olhar é vasto e misterioso. Olhar habitação que acolhe o próximo que passava desabrigado. Olhar rejeição que distancia o gesto de diálogo. Olhar atração que cativa e envolve o semelhante. Olhar envenenado que espalha ameaça.” (Hum neguin. Não lembro da onde tirei, não).Mais acho que é bem isso o mesmo, o preconceito começa no pensamento mas é externado no olhar. Um olhar carregado de preconceito é tão denso tão pesado que quase da pra pegar. Antes fosse assim que pudéssemos pegar, seria mais fácil jogar fora.

Um coisa que penso, e que os negro tem que ser politizado, saber responder todas as perguntas com relação a sua cor, o surpreendente que quando você responder as pessoas se assustam, responde com propriedade dos fatos. “Arregala aqueles ‘Olhão’ ”. A parada é simples “ um negro passa a vida explicando como e ser negro”. Não que ele queria, mais é tanta repetição que é como osmose, acabe absorvendo.

Ainda tem aqueles que falam que nunca sofreram preconceito; esses a sociedade já os cegou. Claro que o preconceito hoje é mais sutil (a parada do “olhar” - lembra?) e acaba se misturando com o preconceito social. Ai ai tem muito pano pra manda esse assunto. Deixando essa parte mais conflituosa pra lá ,resumo a parada respeitar cantar e ser feliz. Falando em cantar...Dizem que música não tem cor. No entanto varias tentam colocar a questão do negro em pauta. Musicas como Negro é Lindo cantada por Jorge Ben Jor, mas antes de ver a Jorge Ben , veja a Black is Beautiful cantada por ELIS REGINA uma das melhores interpretação da musica Black is beautiful, só para pensar a quanto tempo os negros vem se explicando essa foi cantada por Elis em 1971. Mais tem interpretações com Sandra de Sá Alcione e Luciana Mello , que são mais novas e igualmente boas.

Uma musica que descobri a pouco tempo que coloca aquestão do negro de novo na boca e na mente das pessoas. Thiago Thomé é o cara rs* ele canta a música Da Pele Preta e coloca o povo pra dançar, balançar e pensar. Se você gostou vejá AO VIVO é outra coisa né.

Bem se for nessa linda de musicas vai longe


Acho que isso é tudo.
Dedicada aos negros que andam, falam e PENSAM



LEIA TAMBÉM:
Eu nunca vi um negro por: Graziela Gama

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...